Controladoria Geral do Estado: Encontro no Paran aponta que combate corrupo ajuda desenvolvimento econmico

0
Share

O autor do livro The Compliance Handbook (O Manual de Compliance), Thomas Fox, abriu o último dia do XVII Encontro Nacional de Controle Interno, que terminou nesta sexta-feira (1). Em palestra transmitida pela internet, com tradução simultânea, ele abordou o futuro dos programas de integridade.


O encontro é promovido pelo Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci), em conjunto com a Controladoria-Geral do Estado (CGE). Antes da palestra do norte-americano, o governador Carlos Massa Ratinho Junior falou para os participantes do encontro, por meio de vídeo. Ele reafirmou compromisso com a inovação na melhoria da gestão pública, com o fortalecimento das controladorias.


As Nações Unidas estimam que US$ 3,6 trilhões são perdidos com suborno e corrupção no mundo, por ano. Fox ressaltou esse valor e comparou as principais penalidades impostas a empresas envolvidas em escândalos financeiros e comparou com lucros obtidos com a implantação de programas de compliance.


Para além do aculturamento em ética e integridade, os programas de compliance, segundo Fox, dão vantagens reais às empresas, com custo baixo, tornando-as melhor gerenciadas e mais lucrativas. Ele também disse que o programa engaja os funcionários na busca por resultados.


O controlador-geral do Estado, Raul Siqueira, acrescentou que além da vantagem financeira que o compliance traz à empresa ou administração, também se deve “colocar na balança” o ganho em imagem e reputação. “Tom Fox é um importante precursor na área de compliance, reconhecido mundialmente. O Paraná segue o modelo proposto por ele em muitos aspectos, com as devidas adaptações à nossa realidade”, afirmou.


COMPETITIVIDADE – A segunda palestra foi proferida por Siqueira, que detalhou a implantação do Programa de Integridade e Compliance, que começou desde 2019, e ressaltou que a base de sustentação do programa é o apoio da alta administração.


“Na primeira reunião com todos os secretários e autoridades do governo, foi dito que a partir daquele momento adotaríamos o programa de compliance e todos assumiram o compromisso com a ética e intolerância com qualquer ato de desvio, corrupção ou irregularidade na gestão”, lembrou o controlador-geral.


Ele acrescentou que o governador, ao apoiar o combate à corrupção, demonstra que o Paraná tem “solo fértil” para o desenvolvimento econômico. “Dessa forma, o Estado pode gerar mais emprego e lucro para os paranaenses. Tudo se traduz em melhor bem-estar para a população”, afirmou Siqueira.


LIVRO – Entre as palestras, o presidente do Conselho Nacional de Controle Interno, Leonardo Ferraz, apresentou o livro Controle Interno Contemporâneo, composto por artigos escritos por profissionais que estão no dia a dia do controle. Entre os assuntos estão auditoria, transparência, atividade correcional, ouvidoria e prevenção à corrupção.


“Os livros trazem emancipação. Quem consegue formar juízo crítico a partir de leitura, alcança alto esclarecimento. Sempre que se quer deixar o povo à margem do que acontece, queimam-se livros e bibliotecas”, disse, citando fatos históricos e justificando a escolha por editar o volume.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *