Secretaria de Saúde presta contas do 2° quadrimestre em audiência pública

0
Share

A Secretaria Municipal de Saúde realizou, nesta quarta-feira (29) a prestação de contas do Fundo Municipal de Saúde, referente ao segundo quadrimestre de 2021. Transmitida pelo site da Câmara Municipal de Londrina e seus canais no Facebook e Youtube, a audiência pública atende a Lei Complementar nº 141/2012.

Foto: Vivian Honorato

O secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, deu início à apresentação, que apontou as produções da rede assistencial, indicadores assistenciais e epidemiológicos e o montante e a fonte de recursos aplicados nos meses de maio a agosto.

Segundo Machado, a prestação de contas regular é um importante instrumento de transparência e visibilidade referente à execução orçamentária e ações realizadas pelo Município. “Qualquer cidadão ou cidadã pode acompanhar as audiências públicas e ter acesso aos conteúdos e relatórios detalhados referentes ao quadrimestre anterior. Informamos sobre o montante de recursos, auditorias, oferta de serviços da rede municipal como um todo, com trabalhos próprios, por conveniadas ou contratadas”, mencionou.

O secretário acrescentou que o encontro também é um momento de citar obras importantes realizadas e em andamento, incluindo entrega de UBSs, construções, implantação de novos serviços. “Ainda falamos do aprimoramento dos trabalhos e projetos existentes, o reconhecimento da atuação dos nossos servidores, as ações integradas e intersetoriais em diferentes áreas, incluindo a vacinação contra Covid-19 e outras ações de prevenção e enfrentamento à pandemia”, afirmou.

No segundo quadrimestre de 2021, o Município aplicou o montante de R$ 230.291.687,98 em ações e serviços públicos de saúde. A quantia equivale a 25,17% das receitas oriundas de impostos e transferências constitucionais, superando o limite mínimo constitucional, que é de 15%.

Dentre as principais atividades realizadas pela SMS no período, foram citadas a entrega da Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito de São Luiz, que foi revitalizada e reaberta para a comunidade no mês de maio. Houve também o lançamento do Serviço Especializado de Fisioterapia, que funciona desde maio na Policlínica Municipal e atende pacientes que necessitam de reabilitação após a Covid-19; e a premiação de cinco trabalhos elaborados por servidores da SMS durante o 6º Prêmio Inova Saúde Paraná.

No mesmo período, foram abertas três licitações para reforma das UBSs do Vivi Xavier, Vila Brasil e distrito de Lerroville, com valor máximo estipulado em R$790.236,72. Em julho, houve reunião virtual do Comitê Gestor Ampliado da Dengue em Londrina para apresentação de dados atualizados e discussão das atividades de enfrentamento; e no mês de agosto foi assinada a Ordem de Serviço para construção do Centro de Atendimento à Pessoa com Deficiência, que será o quinto do Paraná e deve beneficiar mais de 100 mil pessoas de Londrina e região, mediante administração do Cismepar.

Veio a Londrina o programa “Saúde Visual na Estrada”, que estará na cidade até novembro para atender, em uma unidade móvel, cerca de seis mil pacientes que aguardam consultas e procedimentos oftalmológicos pelo Sistema Único de Saúde. Trata-se de uma iniciativa da ONG Renovation em conjunto com o Hospital de Olhos de Londrina (Hoftalon), que é parceiro da Prefeitura de Londrina.

Dentro do enfrentamento à Covid-19, a Prefeitura superou, em agosto, a marca de 300 mil pessoas vacinadas com a primeira dose ou dose única dos imunizantes. No mesmo mês, houve a primeira edição da Balada da Vacina, que atendeu ininterruptamente, durante 36 horas, quase seis mil jovens. Em parceria com equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social, houve testagem e vacinação contra Covid-19 para a população em situação de rua, como parte das ações da Operação Noite Fria.

A Ouvidoria registrou, de maio a agosto, 496 demandas da Secretaria Municipal de Saúde. Os registros incluem reclamações ou críticas, pedidos de acesso à informação, sugestões, elogios e denúncias.

Atenção Primária – A Atenção primária no município é composta por 54 unidades de Saúde, na zona rural e urbana, e 93 equipes de Saúde da Família. Dentro da Atenção Odontológica, as equipes realizaram 8.556 consultas e 10.899 procedimentos. Só no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), foram 311 atendimentos e 1.041 procedimentos.

O Núcleo Ampliado ao Saúde da Família e Atenção Básica (Nasf-AB) realizou 17.868 atendimentos, por meio de profissionais fisioterapeutas, nutricionistas, educadores físicos, psicólogos e farmacêuticos. O Consultório na Rua (eCnaR) registrou 538 atendimentos individuais e 834 procedimentos, para a população em situação de rua.

As principais ações incluem também a abertura das UBSs da Vila Casoni e Ernani Moura Lima para atendimento exclusivo de vacinação contra influenza. Pela mesma campanha de vacinação, houve parceria com as universidades Pitágoras/Unopar e Inesul.

Para incentivo ao aleitamento materno, foi realizada a Campanha Agosto Dourado, com distribuição de bodys para os recém-nascidos acompanhados pelas UBSs. Retornaram as atividades do Programa Saúde na Escola; e foi implantado o Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim Sabará. E 396 profissionais da Atenção Primária participaram de capacitação sobre síndrome pós-Covid persistente e reabilitação.

Urgência e Emergência – De maio a agosto, os plantonistas da UPA Sabará, unidade exclusiva para pacientes com sintomas de Covid-19, realizaram mais de 28 mil consultas. Já na UPA Centro-Oeste foram 37.063 consultas médicas, incluindo ortopedia. No Pronto Atendimento Infantil (PAI) foram 18.115 consultas.

Somadas, as unidades de Pronto Atendimento 16 e 24 horas, que dão suporte à atenção básica de saúde no município e ficam localizadas nos bairros Leonor, Maria Cecília e União da Vitória, realizaram 36.453 consultas médicas.

No mesmo período, o Complexo Regulador de Urgência e Emergência do SAMU–192 atendeu, ao todo, mais de 52 mil chamados. Destes, 36.820 referiam-se efetivamente aos atendimentos médicos. Além disso, com o uso de ambulâncias, helicóptero e unidade de transporte de urgência, foram registrados 13.614 atendimentos.

Em Londrina, a frota de ambulâncias conta com cinco Unidades de Suporte Básico (USB) e três Unidades de Suporte Avançado (USA), além de duas Unidades de Transporte (UT) e um aeromédico.

Serviços – A unidade da Policlínica Municipal contempla as especialidades médicas de geriatria (atendimento ao portador de Alzheimer); cardiologia; dermatologia, incluindo atendimento à hanseníase; nefrologia infantil; pneumologia (asma e doença pulmonar obstrutiva crônica – DPOC); pediatria (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH); e neurologia. Ao todo, foram realizadas 4.316 consultas na Policlínica durante o segundo quadrimestre do ano.

Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) Álcool e Drogas, Infantil e III, realizaram 1.763 acolhimentos diurnos e ou noturnos; 1.641 atendimentos em grupo, 7.046 individuais e 2.589 familiares. No total, os CAPSs atenderam 7.582 pacientes, incluindo consultas de pronto atendimento e ambulatório.

O Centro de Referência de IST/HIV/AIDS, Hepatites Virais e Tuberculose distribuiu 7.972 medicamentos ao longo destes quatro meses. Também realizou 143 atendimentos psicológicos, 3.607 consultas médicas, 5.474 procedimentos por auxiliares e técnicos de enfermagem, 15.303 procedimentos de enfermeiros e 212 pacientes foram atendidos na odontologia.

O Centro de Referência também distribuiu 27.667 preservativos masculinos e 910 femininos. Já no Setor do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), foram coletados 908 exames de Teste Rápido durante o período.

Na produção do Centrolab, foram registrados 523.654 atendimentos, de maio a agosto, sendo 192 referentes a hanseníase e 1.108 com relação à tuberculose.

A Maternidade Municipal registrou 821 pacientes de Londrina internadas, neste período, e 26 de outros municípios. Foram assistidos 489 partos normais, correspondendo a uma taxa de parto normal de 59,52 e outras 333 cesáreas, com uma taxa de 40,50%. Também foram computadas 2.843 avaliações obstétricas.

As equipes do Serviço de Atenção Domiciliar (SAD) realizaram 605 atendimentos com médicos 1.014 com enfermeiros e 3.460 com auxiliares de enfermagem. Os demais profissionais do SAD (assistente social, psicólogo, nutricionista e fisioterapeuta) realizaram 1.493 visitas nos últimos quatro meses.

Regulação – Com relação às internações hospitalares de média complexidade, a Saúde realizou 864 procedimentos com serviços próprios, com investimentos de R$536.586,99. Nos serviços contratualizados, foram aplicados R$ 35.939.811,03, para realização de 14.723 mil atendimentos. Nos de alta complexidade, foram investidos R$ 15.391.002,75 e realizados 3.139 procedimentos.

Vigilância em Saúde – A Gerência de Vigilância Sanitária realizou a inspeção em 1.776 estabelecimentos, e concedeu 2.009 licenças sanitárias. Sobre as arboviroses, a Coordenação de Endemias promoveu 123 atividades educativas, e registrou o atendimento de 494 denúncias.

Texto: Juliana Gonçalves



com informação da Prefeitura de Londrina

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *